Sequestro de Histórico de E-mail: Como se Proteger?

Saiba tudo sobre Sequestro de Histórico de E-mail e Aprenda a se Proteger deste tipo de Ataque

Este artigo foi criado pela equipe Bitdefender para uso exclusivo do blog Super Tutorial.

Tela de notebook com e-mail aberto

O e-mail é um dos serviços on-line mais antigos e é amplamente utilizado até hoje. Ele permite enviar mensagens para pessoas em qualquer lugar do mundo, de maneira simples e rápida.

Milhões e milhões de e-mails são mandados diariamente, contendo informações dos mais variados tipos: de simples conversas entre amigos até dados sigilosos de empresas. Sabendo disso, muitos hackers e criminosos virtuais se aproveitam para roubar essas informações e usá-las posteriormente para aplicar golpes.

Uma das formas mais usadas pelos cibercriminosos para obter informações sigilosas é o sequestro de histórico de e-mails através do uso de malwares. Quer entender melhor o que é o sequestro de histórico e como se proteger dessa ameaça? Continue lendo!

Como acontece o sequestro de histórico de e-mail?

Existe um trojan chamado Qbot (ou Qakbot), que é usado para coletar dados financeiros, informações pessoais e realizar transações bancárias não autorizadas.

Este malware inicialmente roubava somente esse tipo de informação, mas o Qbot evoluiu e agora – com a capacidade estendida – ele é capaz de roubar informações de computadores infectados, como senhas e números de cartão de crédito.

Além disso, o Qbot pode instalar outros malwares e sequestrar o histórico de conversas de e-mails.

O trojan funciona enviando e-mails elaborados para o alvo em questão, contendo URLs com um arquivo Visual Basic Script (VBS) malicioso, que executa um código no computador assim que é aberto.

A partir daí, o malware entra em “modo de coleta” e extrai o histórico de conversas do e-mail, enviando para um servidor remoto.

Os e-mails sequestrados são usados para futuros envios de spam e mensagens infectadas, já que as informações presentes no corpo do e-mail enganam usuários desavisados facilmente, pois simulam continuar uma conversa já existente de um e-mail real.

Tela de smartphone com e-mail aberto

Como evitar que isso aconteça?

Para evitar esse tipo de ciberameaça, existem algumas recomendações simples que podem ajudar indivíduos e organizações a se proteger. Acompanhe algumas dicas:

  1. Desconfie de e-mails com anexos desconhecidos: Mesmo parecendo vir de fontes confiáveis, não clique sem antes verificar do que se trata o anexo.

  1. Adicione etapas de verificação: Quando estiver lidando com dados bancários e outras informações sigilosas, sempre adicione uma etapa de verificação. Uma boa forma de fazer isso é ligando pessoalmente para a parte solicitante.

  1. Tenha uma solução de segurança eficiente: Proteger sua caixa de entrada do e-mail é a forma mais efetiva de evitar malwares e outros problemas. Invista em um excelente antivírus grátis que tenha soluções anti-phishing e antifraude.

Com a importância cada vez maior que os serviços on-line ocupam na vida da população, é fundamental estar ciente das ameaças e saber como se defender do roubo de informações. O que você faz para proteger seus e-mails? Compartilhe com a gente nos comentários!

Imagens: Unsplash (Krsto Jevtic); Unsplash (Kon Karampelas).



Entre no Grupo do telegram